Atualizado 09/05/2019

Vida Saudável abordando os Prebióticos e Probióticos

Os probióticos são microorganismos vivos, os quais administrados na quantidade adequada conferem benefícios à saúde do hospedeiro. São suplementos alimentares adicionados, influenciando no seu valor nutritivo e terapêutico. São culturas de microorganismos vivos, como bactérias benéficas e leveduras, contribuindo na melhora do sabor do produto final e produzem substâncias antimicrobianas. Sendo utilizados para a prevenção e tratamento de doenças da microbiota intestinal, distúrbios do metabolismo gastrintestinal e de inibir a carcinogênese. As principais bactérias são do gênero Lactobacillus e bifidobacterium.

 

Os prebióticos são carboidratos complexos, que não são degradáveis pelas enzimas intestinais e salivares. Atuando no intestino grosso pela estimulação da proliferação e de atividade da flora intestinal, favorecendo a defesa imunológica, pela inibição da multiplicação de microrganismos patogênicos. Sendo os prébioticos, a oligofrutose, futooligossacarídeos e a inulina. Quando não são fermentados exercem efeito osmótico no trato gastrintestinal, mas quando fermentados, aumentam a produção de gases. Seu consumo elevado aumenta o risco de diarréias e pouco tolerados por quem possui síndrome do intestino irritável. Mas seu consumo de forma adequada contribui para a saúde. As principais fontes de prebióticos são: alcachofra, alho, aspargo, banana, beterraba, cebola, centeio, cerveja, cevada, chicória, mel, tomate e trigo. A recomendação de consumo de prebióticos é de 4 a 5 gramas ao dia.

 

A combinação de probióticos e prebióticos é conhecida como os simbióticos, afetando de forma benéfica o hospedeiro, isso para que se melhore a sobrevivência e implementação de microrganismos vivos e favorecendo o crescimento ou atividade metabólica de bactérias benéficas. Estando presentes principalmente em produtos lácteos fermentados. A utilização de probióticos e prebióticos selecionados de forma apropriada, podem aumentar os efeitos benéficos de cada um deles. Seus benefícios são: melhorar o sistema imune, reduzir citocinas pró-inflamatórias, aumento de massa magra, reduzir infecções intestinais e reduzir a massa gorda.

 

Consulte o nutricionista e o médico para te orientar e para promover uma vida mais saudável e duradoura!

 

Esse foi o tema de hoje, para a próxima semana iremos falar sobre a importância das fibras, para maiores informações consulte minha página no Facebook ou instagram nutricionista Everlin Massing, até a próxima!!

 

FONTE:

CANÇADO, I. A. C.; SANTOS, L. C. PROBIÓTICOS E PREBIÓTICOS: VALE A PENA INCLUÍ-LOS EM NOSSA ALIMENTAÇÃO!. SynThesis Revista Digital FAPAM, Pará de Minas, v.1, n.1, 308-317, out. 2009.

BADARÓ, Andréa Cátia Leal; et al. ALIMENTOS PROBIÓTICOS: APLICAÇÕES COMO PROMOTORES DA SAÚDE HUMANA – PARTE 1. NUTRIR GERAIS – Revista Digital de Nutrição – Ipatinga: Unileste-MG, V. 2 – N. 3 – Ago./Dez. 2008.

Raizel Raquel; et al. Efeitos do consumo de probióticos, prebióticos e simbióticos para o organismo humano. Revista Ciência & Saúde, Porto Alegre, v. 4, n. 2, p. 66-74, jul./dez. 2011.

DENIPOTE, Fabiana Gouveia; TRINDADE, Erasmo Benício Santos de Moraes; BURINI, Roberto Carlos. Probióticos e prebióticos na atenção primária ao câncer de cólon. Arquivos de Gastroenterologia. Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBGSociedade Brasileira de Hepatologia - SBHSociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED, v. 47, n. 1, p. 93-98, 2010. 

© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções